quarta-feira, 18 de novembro de 2015

O meu círculo é menor do que o teu



The Ring, indiscutivelmente um dos melhores senão o melhor Hitchcock da fase muda, era o filme que o realizador considerava o seu verdadeiro primeiro filme. Além do controlo pela primeira vez sobre o argumento, há nele a obsessiva exploração da relação geométrica do círculo que se "intromete" na triangulação amorosa. Já isso tinha acontecido com The Lodger com a brincadeira com as algemas e o anel. Aqui a circularidade é explícita: do anel do marido à bracelete do amante, do ring de boxe no qual começa e irá acabar a história, em trajecto de volta desenhada. Há, talvez, uma acepção menos recorrente da circularidade em The Ring. A exploração do argumento leva Hitchcock a fazer circular, por via da manipulação narrativa, a ideia que o espectador tem de cada um deste trio. A mulher que começa e está quase todo o filme em modo "adúltera" para no final girar para a esposa fiel que se apieda com o esforço do marido. Este que começa fanfarrão, a derrotar tudo e todos de um só assalto, aprendendo por fim a humildade de conquistar aquilo por que se luta. E, finalmente, o amante que vemos nas primeiras cenas numa postura low key (ele não quer combater na luta inicial, é o outro que o desafia) e que termina por não evoluir nessa heroicidade, visto em festas, com mulheres, dando-nos a perceber que o seu hipotético amor pela mulher seria uma atitude estática, indiferente a sofrimentos e traições. Do vilão ao herói, do herói ao vilão, Hitchcock mostra a circularidade implícita num dos seus temas, a ilusão das aparências, fazendo triunfar o menor dos círculos sobre o maior. Se na cena do casamento a bracelete cai sobre o anel, no desfecho de The Ring, é o círculo maior, mais forte e vistoso, que é arrancado. Mais do que moralismos casamenteiros este é um filme sobre "o meu círculo é menor mas maior do que o teu". Isto sem esquecer o poder do círculo de amigos do marido, personagens secundárias muito relevantes, que aqui têm um papel de coesão vital para suster a eminente queda do herói.

Sem comentários:

Publicar um comentário